sábado, 22 de julho de 2017

CATOCA, DIAMANTE DE 558 QUILATES, 58 QUILATE TOP WHITE E POLIGRAFO PARA MATAR TRABALHADOR

CATOCA, DIAMANTE DE 558 QUILATES, 58 QUILATE TOP WHITE E POLIGRAFO PARA MATAR TRABALHADORES


Saurimo, 22/07 – Fonte ligada ao Kimberlite de Catoca na Província da Lunda-Sul, revelou que na passada sexta feira 15 de Julho, foi encontrado um diamante de 558 quilates superior ao encontrado ano passado na região de Lulu Capenda Camulemba de cerca de 400 quilates. Ontem 21 de Julho, foi encontrado mais uma pedra de diamante de 58 quilate top white, de acordo com os classificadores de Catoca, esta pedra é a única e aparece pela primeira vez no mundo, a mesma não será vendida, é para o senhor José Eduardo dos Santos, que acaba agora de ganhar mais uma fortuna do povo Lunda Tchokwe, sem nunca ter feito nada para este território.



A mesma fonte revelou que hoje, 22 de Julho, o Kimberlite de Catoca começa com as operações de revista corporal por via de SCANNER POLIGRAFO, proibido mundialmente pelas Nações Unidas, o seu uso é bastante perigoso para a saúde dos trabalhadores. Este equipamento nocivo é fabricado na Africa do Sul, que a utilizava durante o Apartheid e dezimou muitos Sul Africanos com sequelas irreversiveis para a saúde humana.


Será que há um novo plano para acabar a população jovem em idade de trabalho na Lunda Tchokwe?..só um governo criminoso pode permitir que equipamento tipo POLIGRAFO esteja a ser usado contra a sua população.


A Lunda Tchokwe, continua a ser o principal exportador de todos os diamantes que Angola vende ao exterior, cujo território vive com zero “0” dolares por dia, pobreza extrema e ainda querem os obrigar para votar a favor da continuidade da colonização e do roubo indiscriminado da riqueza deste território a fazer fortunas a estrangeiros em outros continentes.


A Lunda Tchokwe precisa urgentemente da sua Autodeterminação tal como esta sendo defendida com unhas e garra pelo Movimento do Protectorado, lembrando que a UNITA acaba de anúnciar dar Autonomia para Cabinda com total ignorância a questão Lunda Tchokwe.


COMO OS DIAMANTE DA LUNDA GERAM MILHÕES PARA O REGIME DE ANGOLA


A Produção do primeiro trimestre de 2017, isto é Janeiro, Fevereiro e Março, atingiu em Março 719.719,96 quilates, que resultou num encaixe de 88.578 milhões de dolares americanos. A Produção de diamantes Industriais no mesmo periodo foi de 714.735,97 quilates ou seja 87.246 milhões de dolares americanos, em que a produção artesanal representou 4.983,99 quilates para um encaixe de 1.332 milhões de dolares.


DE ONDE VIERAM ESTES DIAMANTES

Catoca, 620.463,20 quilates
Cuango, 32.058,38 quilates
Chitotolo, 19.110 quilates
Somiluana, 13.349,46 quilates
Calonda, 8.818,99 quilates
Camutué, 7.886 quilates
Luó,  6.687,56 quilates
Lumina,  4.809,22 quilates
Lulo, 2.945, 86 quilates
Aqui não esta contabilizados todos os projectos mineiros em funcionamento mactualmente.


QUEM FORAM OS PAÍSES QUE COMPRARAM OS DIAMANTES DA LUNDA TCHOKWE


Os paises do destino dos diamantes da Lunda Tchokwe exportados por Governo de Angola, foram Emirados Árabes Unidos, com 89%, Israel, com 10% e Suiça, com 1,00%.


E vocé filho da Lunda que anda contra a reivindicação da Autodeterminação defendida pelo Movimento do Protectorado Lunda Tchokwe, qual é a sua opinião diante desta realidade nua e crua???



Quantos Lunda Tchokwes beneficiam do diamante??? E os assassinados que acontecem diáriamente, qual é a sua opinião sobre esta realidade?.. ainda vêm publicamente nos criticar… REFLITAM SOBRE O VOSSO VOTO DA LEGALIZAÇÃO DA COLONIZAÇÂO.


quinta-feira, 13 de julho de 2017

OS 5 ACTIVISTAS DO PROTECTORADO LUNDA TCHOKWE, CONTINUAM PRESOS NA KAKANDA

OS 5 ACTIVISTAS  DO PROTECTORADO LUNDA TCHOKWE, 



CONTINUAM PRESOS NA KAKANDA, DEPOIS DE O JUIZ TER ORDENADO A SOLTURA DOS MESMOS,  TUDO PORQUE DEVEM PAGAR MAIS 350.000,00 MIL Kz DE EMULUMENTOS DA JUSTIÇA…OS DECLARANTES ESTÃO A MONTE…

MPLA E CASA MILITAR DA SEGURANÇA DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA DE ANGOLA SEM NORTE DISPARA CONTRA MOVIMENTO DO PROTECTORADO LUNDA TCHOKWE


MPLA E CASA MILITAR DA SEGURANÇA DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA DE ANGOLA SEM NORTE  DISPARA CONTRA MOVIMENTO DO PROTECTORADO LUNDA TCHOKWE, USANDO O TRAIDOR E O COITADO DO VELHO JOSÉ DANIEL MUAMUXINDA, CONHECIDO POR MUAMBUMBA. MPLA PROMETEU CARGO DE MINISTRO OU GOVERNADOR PARA O TRAIDOR DO POVO LUNDA TCHOKWE E LHE OFERECEU DINHEIRO, COIDADO, AGORA A LADRAR DE RAIVA, NAS EMISSORAS DE RÁDIO EM LUANDA.



MPLA/SINSE/CASA MILITAR DA PRESIDÊNCIA DA REPUBLICA LEGALIZA TRAIDOR PARA ESTE COMBATER O MOVIMENTO DO PROTECTORADO LUNDA TCHOKWE, POIS NÃO FAZ SENTIDO DE QUE O TRAIDOR ESTEJA A COMBATER O MOVIMENTO E DEIXAR DE COMBATER O REGIME QUE COLONIZA A LUNDA TCHOKWE.


A RÁDIO DESPERTAR NÃO PERGA TEMPO COM UM TRAIDOR DO POVO LUNDA TCHOKWE, O LUGAR DE TRAIDOR ERA LUTAR COM O MPLA E NÃO LUTAR INGLÓRIAMENTE COM O MOVIMENTO DO PROTECTORADO OU COM O SEU PRÓPRIO POVO, ESTE COMPORTAMENTO FALA POR SI...


A PRENSENÇA DO TRAIDOR LUNDA TCHOKWE NA RÁDIO DESPERTAR É A SUA PRÓPRIA SENTENÇA E O SEU PRÓPRIO FIM…EM TEMPOS DE ELEIÇÕES MUITOS VENDEM-SE AO MPLA A TROCO DE ALGUM DINHEIRO, É A TACTICA DA CASA MILITAR DO PRESIDENTE…


O MOVIMENTO DO PROTECTORADO NÃO PRECISA DE LEGALIZAÇÃO DO VELHO MUAMUXINDA OU DO GOVERNO DE ANGOLA PARA REIVINDICAR O DIREITO NATURAL DE TODOS OS LUNDAS, INTELECTOS, ACADEMICOS, ESTUDANTES E O POVO EM GERAL QUE TEM NESTE MOMENTO A ANSIEDADE DA SUA LIBERDADE.



O MPLA/SINSE/ CASA MILITAR DA SEGURANÇA DO PRESIDENTE SABE QUE OS ONZE ANOS DA LUTA REIVINDICATIVA DO POVO LUNDA TCHOKWE NÃO SÃO ONZE MINUTOS.


terça-feira, 11 de julho de 2017

Activistas do protectorado Lunda Tchokwe colocados em liberdad

Activistas  do protectorado  Lunda Tchokwe colocados em liberdade



Absolvidos do crime de homicídio voluntário simples


Os activistas do Movimento do Protectorado da Lunda Tchokwe foram absolvidos nesta terça-feira, 11, no crime de homicídio voluntário simples mas foram condenados a quatros meses por delito de arruaça.


O advogado Sebastião Assureira disse que os réus foram colocados em liberdade por já terem cumprido a pena ditada pelo juiz do Tribunal provincial de Lunda Norte.


O defensor manifestou-se contra a condenação, mas afirmou que não vai recorrer da sentença por os seus constituintes terem saído em liberdade.


O julgamento dos cinco activistas iniciou-se a 5 de Julho na cidade do Dundo, sem a presença dos polícias arrolados pelo Ministério Público, como declarantes.


Os activistas Rui Lucas, André Zende, Zeca Samuimba, Acoríntio Cajiji e Cazenga Manuel foram acusados de terem destruído e queimado uma esquadra policial e tentado assassinar um agente da Polícia Nacional durante uma tentativa de manifestação no dia 4 de Janeiro na vila de Cafunfo, no município do Cuango.


A defesa chegou a acusar os polícias que participaram nas detenções de terem agredido os detidos e apossado dos seus bens.



VOANEWS

segunda-feira, 10 de julho de 2017

OS 5 MEMBROS DO PROTECTORADO VÃO AMANHÃ PELA 3.ª VEZ NA AUDIÊNCIA DE JULGAMENTO NO TRIBUNAL DE DUNDO

OS 5 MEMBROS DO PROTECTORADO VÃO AMANHÃ PELA 3.ª VEZ NA AUDIÊNCIA DE JULGAMENTO NO TRIBUNAL DE DUNDO


Os 5 membros do Movimento do Protectorado Lunda Tchokwe, detidos desde 4 de Janeiro, Rui Lucas e 22 de Março, André Zende, Zeca Samuimba, Acorintio Cajiji e Cazenga Manuel,  vão comparecerem amanhã 11 de Julho para a 3.ª sessão de julgamento, acompanhados  pelo Advogado de defesa da Associação Mãos Livres, Assureira Sebastião, depos de ter falhado no dia 5 de Junho e 8 de Julho, porque os Policias declarantes do Cuango não terem comparecido nas duas audiências para acareamento de acordo com a Lei.




Pouco temos a dizer, senão mostrarmos que, acusações desde o inicio foram falsas, mentiras, razão porque aqui temos as fotografias das unidades policiais de Cafunfo intactas, o homicidio de que são acusados e a pessoa que terá sido tentado nunca apareceu.




É a justiça encomedada de Angola…



sábado, 8 de julho de 2017

DOM JOSÉ TIRSO BLANCO BISPO DO LUENA DENÚNCIA VIDA PRECÁRIA DAS POPULAÇÕES DA COMUNIDADE DE KALUNDA NO MUNICÍPIO DO ALTO ZAMBEZE

DOM JOSÉ TIRSO BLANCO BISPO DO LUENA DENÚNCIA  VIDA PRECÁRIA DAS POPULAÇÕES DA COMUNIDADE DE KALUNDA NO MUNICÍPIO DO ALTO ZAMBEZE



A situação foi constada no local, pelo Bispo do Luena, Dom José Tirso Blanco, numa visita pastoral que o prelado efectuou a Comunidade de Kalunda, onde se inteirou das condições sociais das populações locais.



A falta de vias de comunicação que permitem a circulação e o comércio de bens para o desenvolvimento desta Comuna, fazem parte das necessidades dos cidadãos, como descreve o responsável pastoral.



“O caminho que liga Kalunda à sede municipal, sendo esta uma sede comunal, está quase sendo impossível de transitar. De facto, aqui não chegam caminhões, não há viaturas e torna muito difícil o desenvolvimento nesta área. O nosso povo é um povo trabalhador, dedica-se a diversas actividades ligadas à agricultura, mas encontra-se na impossibilidade de escoar os seus produtos”, disse o prelado.



A falta de medicamentos no posto médico existente na comunidade e ausência de viatura que transporte de pacientes para a sede municipal ou provincial, é também uma realidade vivida pelas populações, de acordo com o Prelado.


“Juntamente com isto, é a situação da saúde. Aqui não há médico, não há enfermeiro; o posto médico é o nome apenas, não há remédios nem se quer a possibilidade de ir evacuar alguém através de uma ambulância ou outro meio até a sede municipal, e menos, ainda, até a sede provincial”, explicou a entidade religiosa.



OBS: esta é uma realidade em toda a extensão, desde o Kuando Kubango até ao Dundo, a precaridade é a mesma nas Comunas e Comunidades isoladas ou distantes dde sedes Municípais ou cidades Capitais; Menongue, Luena, Saurimo e Dundo.


quinta-feira, 6 de julho de 2017

PELA 2.º VEZ DECLARANTES AGENTES DA PN DO CUANGO, NÃO COMPARECERAM NO TRIBUNAL DE DUNDO, NO JULGAMENTO DE MEMBROS DO PROTECTORADO LUNDA TCHOKWE, JUIZ ADIA ASESSÃO PARA DIA 11 DE JULHO

PELA 2.º VEZ DECLARANTES AGENTES DA PN DO CUANGO, NÃO COMPARECERAM NO TRIBUNAL DE DUNDO, NO JULGAMENTO DE MEMBROS DO PROTECTORADO LUNDA TCHOKWE, JUIZ ADIA ASESSÃO PARA DIA 11 DE JULHO



Os agentes da Policia Nacional do Comando Municípal do Cuango, detentores de verdades, que incriminaram com as suas mentiras no dia 4 de Janeiro o cidadão Rui Lucas de tentativa de homicidio, e no dia 22 de Março, rusgaram em plena madrugada, os cidadãos André Zende, Zeca Samuimba, Acorintio Cajiji e Manuel Cazenga, não compareceram no tribunal de Dundo, ontem dia 5 de Julho para testemunharem contra os 5 Activistas Lunda Tchokwe.


Prisão legalizada pelo Procurador Municipal Sr Magalhaães, que os enviou posteriormente para a unidade penitenciária da Kakanda.


O primeiro turno de julgamento aconteceu no dia 8 de Junho, os agentes da PN do Cuango, na qualidade de declarantes não compareceram e nem justificaram a sua ausência.


O tribunal da Lunda Norte, até a presente data não revelou os nomes dos tais agentes que deveriam declarar contra os activistas, na realidade o Comando Municípal do Cuango quer fabricar declarantes,  treinar os mesmos para enfrentar a defesa dos Arguidos do Protectorado Lunda Tchokwe ou seja os Advogados da Associação Mãos Livres que conhecem muito bem o processo reivindicativo e pacifico, conhecem bem as pessoas envolvidas do processo, jamais iriam pautar pelo vandalismo, pois o processo em si é POLITICO.


Estes agentes da PN do Cuango, que fabricam crimes contra outras pessoas, foram os mesmos que no dia 24 de Junho, mataram PIMBI TXIFUTXI.


O senhor Juiz, só lhe resta dar soltura provada esta de que nunca ouve tentativa de homicidio ou vandalização de alguma esquadra em CAFUNFO.


A razão fala mais alto do que qualquer mentira…os metódos leoninos em pleno século XXI, já não fazem parte da civilização moderna de um mundo globalizado.



Esta provado que a Policia do Cuango mentiu as autoridades judiciárias, tudo quando vir acontecer no dia 11 de Julho, terá que ser simplesmente “JUSTIÇA”.


quarta-feira, 5 de julho de 2017

Advogado denuncia "impunidade" de agente da PN que matou cidadão no Cuango

Advogado denuncia "impunidade" de agente da PN que matou cidadão no Cuango


Pimbi Chifuxi foi morto durante protestos do Movimento do Protectora da Lunda Tchokwe


Continua em liberdade o agente da Polícia Nacional (PN) apontado como o suposto autor do disparo que matou o cidadão Bimbi Chifuxi no passado dia 24 de Junho, da comuna do Luzamba, no município diamantífero do Cuango, província da Lunda Norte.


A denúncia é do advogado Sebastião Assurreira, membro da Associação Mãos Livres, que, a partir do Dundo, capital da Lunda Norte, tem acompanhado os processos envolvendo cidadãos que se têm manifestado a favor da autonomia da região e pela liberdade de expressão.


Ao agente da polícia de nome João Lukunda, identificado como guarda-costas de uma alta patente da Polícia local, não terá sido movido qualquer processo criminal, uma situação que o causídico diz condenar.


Todas as tentativas feitas para ouvir a versão da PN do Cuango, na pessoa do seu comandante municipal, superintendente Caetanto Bravo dos Santos, resultaram em fracasso.


Na manhã de 24 de Junho último, a PN, em colaboração com as Forças Armadas Angolanas (FAA), reagiu com armas de fogo a uma série de manifestações convocadas pelo Movimento do Protectorado Lunda Tchokwe, nas províncias do Moxico, Lunda Norte e Lunda Sul.


Bimbi Tchifuxi foi a vítima mortal da acção em que outros manifestantes ficaram feridos com gravidade.


Julgamento sumário


Mais de 80 pessoas foram detidas durante a operação das autoridades de segurança e submetidas a julgamento sumário no passado no dia 28 de Junho pelo Tribunal Provincial da Lunda Norte, que as condenou a uma pena de 45 dias de prisão e multa de 22 mil kwanzas cada,


Os mesmos foram acusados e condenados no crime de "assuada", uma condenação já criticada pelo chamado Movimento do Protectorado Lunda Tchokwe, na pessoa do seu presidente, José Mateus Zecamutchima, que caracterizou o processo de um "julgamento teatral".


Entretanto, o chefe de Estado Maior General das Forças Armadas Angolanas, general Sachipengo Nunda, afirmou já que o Movimento do Protectorado Lunda Tchokwe é uma organização ilegal, tendo reafirmado o papel das Forças Armadas em manter a estabilidade na região.



terça-feira, 4 de julho de 2017

JULGAMENTO DOS MEMBROS DO PROTECTORADO ACONTECE AMANHÃ 5 DE JULHO NO TRIBUNAL DA LUNDA NORTE

JULGAMENTO DOS MEMBROS DO PROTECTORADO ACONTECE AMANHÃ 5 DE JULHO NO TRIBUNAL DA LUNDA NORTE



Depois de ter sido adiado no dia 8 de Junho, por que na altura os declarantes policias do Cafunfo não compareceram, o juiz havia fixado o dia 5 de Julho para o efeito.


Os Advogados de defesa da Associação Mãos Livres já se encontram na cidade de Dundo, porém, os policiais declarantes ainda não se fizeram presente no local.


De lembrar que, não existe crime, é um caso politico, fora de questão jurídica, pois não existiu nenhum homicidio consumado no dia 4 de Janeiro de 2017, tal como aconteceu no dia 24 de Junho em que o policia João Makumo assassinou o cidadão Pimbi Txifutxi, mas que o mesmo se encontra impune e a passear nas ruas do Cuango.


Os activistas que serão julgados amanhã: Andre Zende, Zeca Samuimba, Acorrintio Cajiji e Manuel Cazenga, rusgados no dia 22 de Março na localidade de Cafunfo e o Activista Rui Lucas, detido no dia 4 de Janeiro na manifestação que teve lugar naquele dia…


A Policia do Cuango, por falta de provas, inventaram que os cinco teriam tentado homicidio e queimado uma esquadra que nunca existiu, esperemos amanhã a Policia apresentar publicamente as imagens da esquadra e a localidade onde a mesma se encontrava.



O povo Lunda Tchokwe, vai continuar a sua marcha triunfal, rumo ao estabelecimento do seu direito legitimo e natural “AUTODETERMINAÇÃO”, por via da Autonomia como Escócia no Reino UNIDO..


sábado, 1 de julho de 2017

POLICIA HOMICIDA DA MANIFESTAÇÃO DO CUANGO ESTA DESAPARECIDO E COM IDENTIDADE FALSA

POLICIA HOMICIDA DA MANIFESTAÇÃO DO CUANGO ESTA DESAPARECIDO E COM IDENTIDADE FALSA



Fonte ligada a família do malogrado Pimbi Txufutxi, assassinado durante a manifestação do dia 24 de Junho de 2017, organizada pelo Movimento do Protectorado Lunda Tchokwe para exigir soltura de 5 membros detidos desde Janeiro e Março do presente ano na cadeia da Kakanda no Dundo, Lunda - Norte, e, exigir também o Diálogo com o regime de Angola sobre Autonomia do território Lunda Tchokwe, dizem que o Policia simplesmente esta desaparecido, impune, sem rasto e com o perigo para cometer outro assassinado.



Ninguém conhece seu verdadeiro nome, aqui é chamado “João Makumo”, e poligamo, mais a vizinhança não lhe conhecem com este nome, nem conhecem a outra casa, a casa oficial esta fechada desde o domingo 25 de Junho, depois da ocorência do acto que vitimou Pimbi Txifutxi.



O Comando da Policia do Cuango, assumiu o acto praticado pelo seu Agente, mas não existe até hoje nenhuma reação do PGR do Cuango ou abertural legal de um processo para averiguar e verificar as circunstância do excesso praticado pelo homicida.



A família do malogrado, esta preocupado, 7 dias para cá, o Ministério Público, ainda não instruiu a instrução preparatória como detentor da acção penal e já esta a pensar em contactar Advogados para poder acelerar com o processo, numa altura em que ocorrem noticias do desaparecimento do Policia homicida  João Makumo e sem saberem o seu verdadeiro nome.



A Policia do Comando do Cuango, terá entregue algum apoio em termos de alimentos que em nada resolveu com as necessidades do óbito e a presença massiva dos familiares do malogrado vindos de Saurimo, Capenda Camulemba e de outras localidades, o valor de 100.000,00 Kz, que se recebeu da Policia não chegou para a compra da Urna que esteve acima dos 300.000,00 Kz.



Fonte: Famílias do Malogrado